Portal do Governo Brasileiro
Logotipo Incra


20 anos de história do Pronera marcada por 1,2 mil alunos formados no Espírito Santo


Publicado dia 15/06/2018
 
No ano em que o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) completa 20 anos de história, a Superintendência Regional do Incra no Espírito Santo tem o que comemorar também, por ter contribuído com a formação de 1.229 alunos em oito cursos realizados em terras capixabas aos diversos públicos atendidos pelo programa (acampados, assentados e quilombolas). A esse fim, o Governo Federal disponibilizou recursos da ordem de R$ 2,4 milhões.
 
De 1999 a 2011 foram realizados uma série de cursos, sendo quatro voltados à Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Ensino Fundamental (de Alfabetização e de 1º ao 4º anos), em que concluíram 1.044 alunos; um de Ensino Médio (Técnico em Agropecuária), no qual colaram grau 42 alunos; e três de Ensino Superior (dois de Licenciatura Plena em Pedagogia e um de Especialização em Economia e Desenvolvimento Agrário) que propiciaram a graduação a 143 alunos no Espírito Santo. Mais do que simplesmente investir em recursos financeiros, com a realização dos cursos foram criadas oportunidades de vida aos participantes pelo conhecimento adquirido por aqueles que buscaram formação.
 
Em virtude dos números alcançados no país em seu histórico e, particularmente, no Espírito Santo com mais de 1,2 mil formados, o Pronera é considerado por muitos estudiosos da Educação e aqueles que o conduziram na autarquia uma ação de sucesso em razão de oferecer oportunidades aos beneficiários da reforma agrária, pela via do conhecimento e da instrução formal. 
 
A servidora aposentada Janete Carvalho de Azevedo, que por quase dez anos esteve à frente do programa na regional capixaba, relembra que o projeto só foi possível ser implementado por conta da sinergia dos sujeitos (atores sociais) que participaram da ação: de motoristas e técnicos do Incra/ES a professores; dos assentados e alunos a estagiários, com sua boa vontade. “Mesmo com entraves e dificuldades, que não foram poucos, conseguimos formar no Espírito Santo duas turmas de Pedagogia, certificar muitos jovens de EJA e concluir o curso de técnico em Agropecuária”, comenta.
 
Depoimentos de alunos
 
Colegas de curso da primeira turma formada em Pedagogia pelo Pronera no Espírito Santo, os assentados Maria Aliene de Jesus Ferreira (assentamento Nova Conquista - município de Pinheiros) e Valdinar dos Santos (assentamento Zumbi dos Palmares - município de São Mateus) frequentaram as aulas entre 1999 e 2003 no Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes) da Universidade Federal do Espírito Santos, localizado em São Mateus.
 
Aliene se diz satisfeita em ter participado da ação, uma vez que quando foi assentada não tinha chance de estudar e o Programa foi uma oportunidade para continuar os estudos. “O Pronera abriu as portas para mim. Depois disso, cursei pós-graduação em Estudos Latino-Americanos na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e mestrado em Desenvolvimento Territorial (Geografia) pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), concluído em 2017”, conta com orgulho. Atualmente ela é professora contratada pelo Estado, lecionando as disciplinas de Artes e Geografia na escola localizada no assentamento Castro Alves, na cidade de Pedro Canário.
 
Já Valdinar Santos afirma que, por conta de sua turma reunir agricultores familiares de outros Estados (Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Maranhão e Minas Gerais), a experiência foi muito gratificante pela troca de experiências que propiciou a todos os participantes. “Além disso, o curso nos permitiu o contato com teóricos renomados da Educação trazidos por professores respeitados da área que qualificaram nossas práticas pedagógicas, cujos conceitos utilizamos nas escolas em que trabalhamos”, defende. Também contratado pelo Estado, ele leciona nas escolas Vale da Vitória (assentamento Georgina) e Padre Ezequiel (assentamento Juerana), ambas localizadas em São Mateus.
 
Eventos históricos
 
I Encontro
Entre os dias 29 de setembro e 1º de outubro de 2004 ocorreu em Vitória evento com o objetivo de levantar demandas, discutir atividades que seriam desenvolvidas à época e socializar experiências dos diversos atores sociais participantes do programa – com fins a otimizar sua performance e consolidar a ação enquanto política pública destinada à educação do homem do campo. 
 
Lançamento de livro
Para marcar a data histórica, em 26 de setembro de 2008, a regional capixaba realizou cerimônia de lançamento do livro intitulado “Por uma educação no campo”, organizado pelos professores Erineu Foerste, Gerda Margit Schütz-Foerste e Laura Maria Schneider Duarte. O tema tratado pela obra diz respeito ao projeto político-pedagógico da Educação do Campo de condução da atividade; com informações dos assuntos discutidos dirante o 1º Encontro do Pronera na Região Sudeste, ocorrido em 2004.
 
II Pesquisa Nacional
Dados dessa pesquisa, elaborada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e divulgada em junho de 2015, dão conta que foram promovidos no Estado cursos em três níveis de instrução para mais de 1,9 mil estudantes, em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (UFFES) e os movimentos sociais e a partir da experiência de 238 educadores, monitores e acadêmicos que fizeram a ação acontecer. Ação essa que se mostrou ser uma “porta de oportunidades” para aqueles que desejam ampliar seus horizontes. Dos 1.229 estudantes que concluíram seus cursos 1.045 são originários de famílias assentadas.
 
Assessoria de Comunicação Social do Incra/ES
(27) 3185-9084
ascom-es@vta.incra.gov.br

Ir para o Topo