Portal do Governo Brasileiro
Logotipo Incra


Carta de Leonardo Góes aos servidores do Incra


Publicado dia 30/12/2018

 

Brasília, 28 de dezembro de 2018.

Caros amigos(as) e colegas:

Esta é uma carta de agradecimentos e despedida. Nesta sexta-feira, 28 de dezembro, informo a todos minha decisão de deixar a presidência do Incra. Deixo o cargo por razões pessoais e para tornar possível o início de novos desafios profissionais, com imenso orgulho de ter feito parte da história desta instituição tão importante para o desenvolvimento rural do país – e à qual pretendo um dia retornar.

Em todas as funções desempenhadas ao longo dos últimos 12 anos, seja como perito federal agrário, assistente técnico, chefe da Divisão da Obtenção de Terras e superintendente regional em Sergipe, diretor de Programas e em seguida presidente da Autarquia, acumulei experiências desafiadoras e de grande importância para o meu crescimento profissional e pessoal.

Este é um momento importante de transformação para o Incra e para a política de reforma agrária no país. Nos últimos dois anos, o reposicionamento estratégico da autarquia permitiu o resgate da sua importância institucional para diversos setores da sociedade, desde servidores e colaboradores, até assentados, proprietários de imóveis rurais, representações políticas no Congresso Nacional e organizações internacionais.

Estou orgulhoso daquilo que conquistamos. Desde o início da gestão como presidente, busquei de forma incansável ampliar a capacidade de geração de emprego e renda no campo, com a implementação de mecanismos para garantir o acesso a créditos e dar segurança jurídica às famílias assentadas, investimentos na infraestrutura dos projetos de assentamento, além do incentivo à agroindustrialização e à comercialização da produção em assentamentos localizados em diversas regiões do país.

Atualmente o Incra é uma referência para os países da América Latina e do Caribe em termos de gestão fundiária e de políticas sociais no meio rural. Isto foi fruto dos investimentos realizados em modernização tecnológica e de gestão, no uso de novas tecnologias de sensoriamento remoto, na implantação de um sistema de gestão de processos e documentos eletrônicos, entre outros.

A autarquia ocupa também a presidência do Comitê Permanente sobre Cadastro na Ibero-América (CPCI), representando o Brasil no fórum de instituições públicas da área cadastral dos países ibero-americanos, o que reforça a sua importância no cenário nacional e internacional, algo por que lutamos e obtivemos êxito.

Por fim, registro a minha gratidão especial para todos servidores, gestores, colaboradores e a nossa procuradoria federal especializada, que, com dedicação e competência, tornaram possível os projetos estruturantes idealizados nos últimos anos. Como reconhecimento desse esforço, não menos energia dedicamos junto com as entidades dos servidores em prol da consolidação do plano de cargos e carreiras dos servidores do Incra, algo que atingiu patamares e apoio político não imagináveis quando iniciamos.

Acredito que cumprimos com louvor a tarefa a nós designada, gerindo a autarquia em um período de dificuldades políticas, econômicas e até mesmo conjunturais. Creio que conseguimos posicioná-la de forma estratégica no momento em que se discute o futuro das políticas públicas no país, atuando como porta-voz da autarquia, mostrando e divulgando a importância dela como gestora da malha fundiária do Brasil, além de resgatar a importância de o Estado Brasileiro contar com tal expertise acumulada e dados crucias do território para a formulação de políticas de forma assertiva.

Enfim, deixo a função com a mesma tranquilidade com a qual assumi a tarefa, com o sentimento de ter aprendido muito – principalmente sobre o valor das pessoas, o respeito às opiniões divergentes, ao contraponto e à manutenção do ambiente democrático.

A mudança não assegura necessariamente o progresso, mas o progresso implacavelmente requer mudanças. Citando as sábias palavras em Salmos 1:3: “Seja como árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá frutos na estação própria e cujas folhas não caem e tudo quanto fizer prosperará”.

Um forte e fraterno abraço a todos.

Até breve!

Leonardo Góes Silva

 

Ir para o Topo