Portal do Governo Brasileiro
Logotipo Incra


Diretoria de Desenvolvimento do Incra visita projetos de assentamento no Acre


Publicado dia 23/11/2016
Ascon Incra/AC - Visita a construção da fabrica de palmito - PDS Bonal
Crédito:

 

A Diretoria de Desenvolvimento de Projetos de Assentamento do Incra de Brasília(DF) realizou uma série de visitas a Projetos de Assentamentos na capital e interior do Acre. Durante a visita, o diretor substituto Douglas Souza de Jesus visitou o frigorífico e abatedouro de suínos Dom Porquito, na cidade de Brasileia (distante cerca de 240 km da capital, Rio Branco) e conversar com produtores rurais assentados pelo Incra no Estado.

A agenda de visitas aconteceu nos dias 16, 17 e 18 de novembro e contou com a participação do Superintendente Regional do Incra no Acre, Eduardo Ribeiro, técnicos do Instituto, secretário estadual de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens), Sibá Machado, além de coordenadores nacionais do Movimento dos Sem Terras (MST).

Na cidade de Brasiléia visitaram o criador de aves, Raimundo Duarte de Oliveira, o “Seu Braga”, assentado no Projeto de Assentamento Direcionado (PAD) Quixadá. Há seis anos Seu Braga trabalha com a criação de frangos os quais negocia diretamente com a empresa Acre Aves, também instalada no município.

Iniciativas
“A impressão que tive desses projetos desenvolvidos no Acre foi a melhor possível, são essas iniciativas que queremos incentivar. Entendemos que a agroindústria é o melhor caminho. É muito gratificante ver que nossos assentados têm uma oportunidade de renda e de manter o sustento de seus familiares através de suas produções, são essas iniciativas que nos fazem acreditar que a reforma agrária é o caminho certo, é a união e o trabalho dos pequenos que torna um projeto grandioso”, enfatizou Douglas Souza.

No dia da visita, seu Braga tinha recebido um carregamento de 19,5 mil pintos, que durante 45 dias vão ficar sobre os seus cuidados até que estejam prontos para o abate. No último mês o criador entregou para o abatedouro 18 mil aves, o que, segundo ele, gerou uma renda mensal de pouco mais de R$ 5 mil. Com a granja, seu Braga gera cinco empregos diretos e outros dez indiretos.

“Em seis anos trabalhando com granja eu consegui construir o que em mais de 30 anos de trabalho como seringueiro não havia conseguido. O melhor de tudo é que hoje não é preciso fazer queimada ou derrubada, trabalho em comunhão com a natureza”, declarou Raimundo Oliveira, o seu Braga.

Outro projeto visitado foi o Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) Bonal, localizado na BR-364 sentido Porto Velho/Rio Branco, região do município de Senador Guiomard, o PDS Bonal ocupa uma área total de 10.447 hectares, onde mais de 800 hectares de seringal em plena produção, cerca de 500 mil pés de pupunha, isso sem falar no manejo florestal de uso múltiplo realizado em 8 mil hectares de floresta, na extração de borracha nativa, castanha, copaíba e outras palmáceas nativas.

Na localidade, a comitiva do Incra percorreu grande parte do projeto, visitou algumas áreas de plantação e depois se reuniram com o presidente da Cooperativa Agroextrativista Bom Destino, Raimundo Alves de Macedo, onde trataram sobre a conclusão da obra da fábrica de palmitos da Bonal. A obra é fruto de um investimento de R$1,4 milhão do Incra. Na ocasião foi discutida a possibilidade da liberação de mais R$ 500 mil em recursos para a aquisição do maquinário para o funcionamento do empreendimento.

“Estamos com cerca de duas mil hastes de palmito esperando a conclusão da obra da fábrica para ser beneficiado e aproveitamos a oportunidade para tratar com o diretor do Incra a possibilidade da liberação de recursos para que possamos voltar a nossa produção de palmito”, disse Raimundo Alves.

“Estaremos vendo a viabilidade de liberação desse recurso para que essas famílias retomem a produção de palmito. O que vimos aqui foi um grande exemplo de que é possível produzir com qualidade e sem agredir a natureza, consolidando um sistema de gestão do assentamento baseado na coletividade e no planejamento participativo, onde a exploração da terra é coletiva, em que todos são cooperados e sindicalizados, com moradia digna, trabalho e renda para todos”, comentou o Diretor.

O Superintendente Eduardo Ribeiro agradeceu a visita e destacou o apoio nas execuções dos projetos realizado em todo o Estado. “Um dos maiores desafios para a reforma agrária, no Brasil, sempre foi, o estabelecimento de um modelo que garanta a permanência das famílias assentadas nas áreas rurais com qualidade de vida e sustentabilidade econômica, além da manutenção da floresta em pé, o que somente é possível com alternativas econômicas viáveis e compatíveis com o uso racional dos recursos naturais da região. O PDS Bonal é fruto do planejamento apresentado no Plano Regional de Reforma Agrária, atendendo os princípios de sustentabilidade”, destacou Eduardo Ribeiro.

Assessoria de Comunicação Social do Incra/AC
(68) 3214-3023
www.incra.gov.br

Ir para o Topo