Portal do Governo Brasileiro
Logotipo Incra


ES: Instalação de poços em assentamentos abranda crise hídrica na região Norte


Publicado dia 27/06/2018
A fim de amenizar os reflexos da crise hídrica que atingiu principalmente o Norte capixaba nos últimos anos, a Superintendência Regional do Incra no Espírito Santo contratou empresa especializada para execução de serviços de perfuração e instalação de cerca de 100 poços tubulares em assentamentos localizados nos municípios da região e no estado como um todo. Com recursos da ordem de R$ 8 milhões a serem destinados para esse fim, o contrato assinado em 6 de junho estabelece o prazo de um ano para a conclusão das obras em terras capixabas.
 
De acordo com o cronograma de execução dos serviços contratados, inicialmente devem ser perfurados 12 poços em benefício de aproximadamente 250 famílias assentadas em cinco assentamentos do município de Ecoporanga, área prioritária em virtude de ser uma das cidades mais atingidas pela crise hídrica. Para essa primeira fase do projeto, já estão disponíveis no orçamento do Incra/ES cerca de R$ 1 milhão.
 
Como próximos passos no desenvolvimento da ação estão previstos a organização dos documentos necessários à execução dos serviços – perfuração dos poços tubulares e instalação de bomba hidráulica e de caixa d'água compatível com a necessidade local – e a distribuição geográfica dos poços em cada comunidade a ser atendida pelo projeto. O contrato abrange o estado inteiro e assim que forem instalados os poços no Norte outras regiões do Espírito Santo que contam com assentamentos também serão contempladas.
 
O servidor Laércio André Nochang, responsável por coordenar a equipe de fiscalização dos serviços a serem executados, se diz satisfeito com a tarefa que tem a cumprir com os demais colegas pela importância social dessa obra aos assentados do Espírito Santo. “Mais que atender uma reivindicação, os serviços de instalação de poços proporcionam dignidade às famílias assentadas que serão beneficiadas pelas obras no acesso à água potável. E isso não tem preço”, defendeu.
 
Segundo o superintendente regional José Filho, o objeto do contrato trata-se de uma demanda antiga das famílias assentadas, sobretudo em municípios da região Norte do Espírito Santo, por conta da crise hídrica enfrentada nos últimos anos pelos capixabas de modo geral. “Quando totalmente concluída, a ação deve trazer melhores condições de vida a essas famílias assentadas não só em termos de subsistência como também pelas consequências positivas à produção nos assentamentos em sentido de potencialização da renda gerada”, comentou.

Ir para o Topo